Agendamento seguro desemprego

O seguro desemprego é uma ajuda temporária paga aos trabalhadores brasileiros que se encontram desempregados, mas que foram demitidos sem justa causa pelo seu empregador.

Esse auxílio tem como objetivo ajudar o trabalhador a dar provimento a sua família, pois não tem outro meio de sustenta-la e não esperava por essa medida em sua vida.

Por isso, é um benefício tão pedido e que auxilia tantas famílias anualmente.

Lembrando que apenas ele será concedido no caso de demissão sem justa causa, pois se entende que na demissão por justa causa o empregado já possui um outro emprego ou proposta, por isso requereu sua saída perante o que estava trabalhando e por isso não necessita de um benefício para lhe auxiliar.

Então, caso você já tenha passou por essa situação ou conhece alguém que está passando, é importante saber os principais requisitos para solicitar o seguro desemprego, como quando ele cessa, qual o valor pago e etc. Fique conosco até o final e saiba tudo isso e muito mais.

O Seguro desemprego é um tema de grande relevância e necessita ser bem entendido, para que o empregado realize todos os passos de forma correta e consiga ao final o auxílio.

COMO FAZER O AGENDAMENTO DO SEGURO DESEMPREGO

Se encaixou nas pessoas que possuem direito ao seguro desemprego?

Agora o primeiro passo é começar a dar entrada nos meios para realizar o seu pedido.

O primeiro passo a se fazer é realizar um agendamento. Esse agendamento do serviço do seguro desemprego pode ser feito tanto pelo sistema SAA – Sistema de Atendimento Agendado, que é um site utilizado para todo o país, quanto por meio do Sistema Nacional de Emprego do seu Estado.

Pela forma mais usual, é só clicar no link ao lado http://saaweb.mte.gov.br/inter/saa/pages/agendamento/main.seam.

Já para o sistema estadual, você deverá procurar saber como funciona e qual o site disponível para a realização desse atendimento.

Então, o sistema de agendamento funciona da seguinte maneira; você informará qual o Estado e Município que reside e o tipo de atendimento que deseja realizar pessoalmente.

Preenchido esses requisitos, o site automaticamente lhe informará o dia, horário e local disponível para realizar o seu pedido. Tudo isso de forma fácil e sem burocracia.

Para os locais disponíveis você poderá encontrar entre as opções trazidas pelo site a Delegacia Regional do Trabalho, o Sistema Nacional de emprego ou as agências que são credenciadas pela Caixa Econômica Federal se o trabalhador se encaixar no requisito de trabalhador formal.

Lembrando que esse moderno sistema ainda não foi implementado em todas as cidades brasileiras, por isso, se você procurou o nome do município e não encontrou, quer dizer que lá o pedido do seguro desemprego é feito de forma presencial, sendo necessário o seu comparecimento para aguardar sua vez para realizar o atendimento.

COMO SACAR?

Você poderá decorrido o prazo de 30 dias do pedido, fazer o saque dos valores que lhe são devidos na Caixa Econômica Federal, em uma unidade das lotéricas, correspondentes do caixa aqui ou no autoatendimento da Caixa.

É só escolher o meio que lhe pareça mais cômodo.

E caso o seu banco seja a Caixa e você já possua uma conta corrente, não se preocupe, pois, o valor já é creditado automaticamente.

QUANTAS PARCELAS DO SEGURO DESEMPREGO EU POSSUO?

Esse é o tópico que mais os brasileiros se interessam, já que em regra, eles querem saber durante quanto tempo podem receber seu seguro desemprego antes de procurar um novo serviço com calma sem ter que ser obrigado a aceitar qualquer oferta para poder não deixar a família desamparada.

Para saber a quantidade de parcelas que o Governo lhe pagará, você deve sempre analisar quantos meses de efetivo serviço você realizou. Analisando o mês, é possível saber as parcelas.

Ficando estabelecido mais ou menos dessa forma:

  1. Primeiro pedido
  • Trabalhador laborou no mínimo 18 meses, terá direito a 4 parcelas.
  • Trabalhador laborou no mínimo 24 meses, terá direito a 5 parcelas.
  1. Segundo pedido
  • Trabalhador laborou no mínimo 9 meses, terá direito a 4 parcelas.
  • Trabalhador laborou no mínimo 12 meses, terá direito a 5 parcelas.
  1. Terceiro pedido
    • Trabalhador laborou no mínimo 6 meses, terá direito a 3 parcelas.
    • Trabalhador laborou no mínimo 12 meses, terá direito a 4 parcelas.
    • Trabalhador laborou no mínimo 24 meses, terá direito a 5 parcelas.

SEGURO DESEMPREGO PARA OS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

Depois de falar sobre as principais características, devemos relembrar que no caso dos empregados doméstico, o seguro desemprego apresenta outras peculiaridades que são pouco comentadas.

Por isso, decidimos abordar esse tópico nesse momento.

A primeira coisa que difere do doméstico para os outros trabalhadores é que aqui o valor do benefício não apresenta oscilação com o passar dos meses ou pedidos.

O pagamento é feito em 3 parcelas, cujo valor é fixo de 1 salário mínimo vigente daquele ano.

No que tange ao tempo de serviço, além da despensa por justa causa é necessário que esse trabalhador tenha exercido a atividade laborativa nos últimos 24 meses pelo menos durante 15 meses, possuindo assim, no mínimo 15 contribuições perante o Instituto Nacional do Seguro Social e 15 contribuições para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

Além disso, como na regra geral, não pode estar recebendo nenhum benefício previdenciário, com exceção da pensão ou porte e auxílio-acidentário.

O procedimento para requerer o seguro desemprego também pode ser feito por agendamento de forma online e no dia marcado, o empregado doméstico deve levar consigo um documento de identidade com foto; o seu comprovante de contribuinte individual; comprovante de recolhimento das contribuições previdenciárias e por fim o termo de rescisão do contrato de trabalho.

Concluído todo esse processo, é só aguardar o valor do seu auxílio ser emitido em um prazo máximo de 30 dias.

Para saca-lo é só usar os meios locais utilizados pela regra geral.

Gostaram do nosso texto? Compartilhe com os seus amigos! Em caso de dúvidas, deixe sua pergunta nos comentários abaixo.

MPT exite que UFRJ regularize salários

Segundo o Ministério Público do Trabalho a UFRJ assumiu o compromisso de repassar recursos referentes ao pagamento de 972 trabalhadores da empresa Venturelli que prestaram labor à Universidade.

Agora o MPT exigiu que a Universidade Federal do Rio de Janeiro realize o pagamento de salário dos dois mil empregados terceirizados, principalmente no setor limpeza, almoxarifado e portaria.

Como a empresa que prestou os serviços não quitou os salários no mês 08, pois estava sem dinheiro, os empregados não receberam o salário referente ao mês em questão. Ainda houve atrasos de outros meses.

De acordo com a UFRJ, o atraso seu porque houve o corte por parte do Ministério de Educação, que deveria ter enviado o valor cheio, porém só mandou trinta e oito porcento do orçamento que erá necessário para o pagamento.

Já o MPT vai fazer uma audiência no dia dezenove para ver se o pagamento dos salários foi realizado.

A Empresa, por sua vez, firmou um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta, aonde se comprometeu a realizar todos os pagamentos de salários e vales transportes aos empregados. Caso contrário sofrerá multa diária de R$300,00 reais por empregado.

Espera-se que os empregados que necessitam de seus pagamentos recebam seus salários, visto que tal demora é injustificável, independentemente de quem é a culpa pelo atraso dos pagamentos.

ATUALIZAÇÃO: Com a reforma trabalhista, tal pagamento se tornou ainda mais importante, sendo que as empresas subsidiárias devem realizar o pagamento da terceirizada que não cumpre com suas obrigações.

Você pode saber mais sobre os direitos do trabalhador no nosso blog, que cobrimos através de artigos explicativos sobre o tema.